22/05/2020

Hoje a Igreja celebra Santa Rita de Cássia

Santa Rita é padroeira das Fazendas em Garanhuns/PE, Gararu/SE e Goiânia/GO

Hoje a Igreja celebra Santa Rita de Cássia

GARANHUNS/PE


A unidade feminina foi doada em 2004 pela Prefeitura de Garanhuns/PE, para implantação uma comunidade terapêutica feminina. Algumas acolhidas são recebidas com os seus filhos menores quando estes não podem ficar com as respectivas famílias. E assim a metodologia da casa foi delineada na prática, utilizando-se uma das casas como creche doméstica para as crianças que precisam tanto de convivência e de amor de suas genitoras quanto de atividades especiais para seu crescimento, de acordo com suas idades.

GARARU/SE

Esta unidade mascculina nasceu mediante pedidos dos responsáveis, na época, da unidade de Lagarto/SE, e do Bispo D. Mário Rino Sivieri, de Sergipe, à Instituição, para que implantassem uma unidade na propriedade onde anteriormente havia um trabalho com menores em situação de risco e que estava desativada, em Gararu/SE. A Diretoria autorizou que durante um tempo funcionasse juntamente com a Fazenda de Lagarto, tornando-se uma nova unidade jurídica e com Diretoria Local própria em 05/10/2005.

 GOIÂNIA/GO

A unidade feminina surgiu através da voluntária Sr. Maria Alice Roriz Camara, que após anos auxiliando nas unidades do estado de Tocantins sentiu o desejo  de implantar uma Fazenda da Esperança em Goiânia. Esta vontade foi partilhada com o Arcebispo D. Washington Cruz, que concordou com a ideia, pois já conhecia o fundador da Fazenda da Esperança, por participar do carisma Franciscano e do Movimento dos Focolares. O local para a implantação foi doado pela Sociedade Agostiniana de Educação e Assistência, aproveitando a instalação da antiga Obra Social Jesus Bom Pastor, que funcionava como centro de recuperação. No dia 09/11/2016 foi realizada uma celebração eucarística, com a presença das duas fundadoras da Fazenda da Esperança, Iraci da Silva Leite e Lucilene Rosendo dos Santos para anunciar à sociedade que haveria uma unidade nova da Fazenda da Esperança na cidade, a qual foi inaugurada no ano de 2017.

 

Biografia de Santa Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia não teve uma vida fácil. Foi uma filha obediente e esposa fiel, mas maltratada por seu marido. Ficou viúva e viu seus filhos morrer. Entretanto, seu amor por Jesus Cristo a levou a ser a santa do impossível e padroeira dos necessitados por milagres que Deus realizou durante sua vida e depois de sua morte. Sua festa é celebrada neste dia 22 de maio.

Ela nasceu em 1381, na Itália, em um momento de conquista, rebeliões e corrupção. Como seus pais, era analfabeta, mas Deus lhe concedeu a graça de ler. Queria ser religiosa, mas seus pais escolheram um esposo e ela aceitou de forma obediente.

Seu marido tinha maus hábitos, bebia muito, era mulherengo e a maltratava. Mas, Santa Rita se manteve fiel na oração. Tiveram filhos gêmeos que possuíam o mesmo temperamento do pai. Após 20 anos de casamento, o marido se converteu, Rita o perdoou e, juntos, aproximaram-se ainda mais da vida de fé. Um dia, ele não voltou para casa e foi encontrado assassinado.

 Os filhos juraram vingar a morte de seu pai e a dor de Santa Rita aumentou ainda mais. Nem suas súplicas os fizeram desistir. A mãe aflita rogou ao Senhor para salvar seus filhos e tirar suas vidas antes que eles mesmos se condenassem com um pecado mortal. Assim, ambos sofreram de uma terrível doença e antes de morrer perdoaram os assassinos.

Mais tarde, Santa Rita quis ingressar na congregação das Irmãs Agostinianas, mas não foi fácil, porque tinha sido casada e por causa da morte sombria de seu marido. Ela se colocou em oração e certa noite ouviu que a chamavam três vezes pelo nome. Ele abriu a porta e encontrou Santo Agostinho, São Nicolau de Tolentino e São João Batista, de quem era muito devota.

Eles pediram que ela os seguisse e, depois de percorrer as ruas, sentiu que a elevavam no ar e a empurravam suavemente para Cássia até se encontrar em cima do Mosteiro de Santa Maria Madalena. Ali, entrou em êxtase e quando voltou a si estava dentro do Mosteiro e as religiosas agostinianas não puderam negar mais o seu ingresso na comunidade.

Fez sua profissão religiosa no mesmo ano (1417) e foi colocada à prova com duras provações por parte de suas superioras. Santa Rita recebeu os estigmas e as marcas da coroa de espinhos na cabeça. Ao contrário de outros santos com este dom, as chagas dela exalavam um odor ruim e teve que viver isolada por muitos anos.

Depois de uma doença grave e dolorosa, partiu para a Casa do Pai em 1457. A ferida de espinho em sua testa desapareceu e no lugar ficou um ponto vermelho como um rubi, que tinha deliciosa fragrância. Seu corpo permanece incorrupto. 

Fonte: Biografia de Santa Rita via ACI Digital

Facebook Fazenda Esperança Twitter Fazenda Esperança Instagram Fazenda Esperança Redes Sociais

Rogai por nós! Nossa Senhora Aparecida #FazendadaEsperanca #SantodoDia

Uma publicação compartilhada por Fazenda da Esperança (@fazendaesperanca) em